Página inicial

Acerca do CCAHD

Antecedentes

O Consortium for the Conservation of the Atlantic Humpback Dolphin (CCAHD) foi criado em resposta a preocupações crescentes sobre o declínio do estatuto de conservação da espécie nas décadas mais recentes. A constituição do CCAHD, em junho de 2020, deve-se a vários eventos, entre eles:

  • A subida na lista da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) do estatuto de conservação do golfinho-corcunda-do-atlântico de Vulnerável para Critically Endangered (Espécie em perigo crítico) em 2017;
  • Uma reunião de cientistas especializados em cetáceos durante a World Marine Mammal Conference, realizada em Barcelona em dezembro de 2019, que se debruçou sobre como redinamizar e dar prioridade aos esforços de conservação do golfinhos-corcunda-do-atlântico.
  • Um desejo de implementar as medidas de conservação e de gestão recomendadas para a espécie pela Convention on Migratory Species (Convenção sobre a Conservação das Espécies Migradoras da Fauna Selvagem), pelo Cetacean Specialist Group(Grupo Especializado em Cetáceos) da UICN e pela International Whaling Commission (Comissão Baleeira Internacional). Apesar de vários sinais claros de declínio, pouco se avançou na conservação da espécie durante o séc. XXI, sendo necessários esforços de cooperação concertados para remediar esta situação;

Pretende-se que o CCAHD seja uma organização tutelar que reúna uma quantidade cada vez maior de indivíduos e organizações parceiras nacionais dos estados da área de distribuição da espécie, de organismos internacionais de gestão da conservação e de cientistas especializados em cetáceos de todo o mundo. O principal objetivo do CCAHD é prestar conselhos sólidos sobre a conservação do golfinho-corcunda-do-atlântico. Atualmente, o Consortium organiza as suas atividades através de Grupos de Trabalho, criados para avaliar e priorizar objetivamente as ações necessárias para implementar projetos de conservação no terreno, e para criar os recursos e as capacidades necessários.

Declaração da missão

Trabalhar para a sustentabilidade a longo prazo da população do golfinho-corcunda-do-atlântico (Sousa teuszii) e dos seus habitats, através da investigação, da consciencialização, do desenvolvimento de capacidades e da ação.

Quem somos

Os coordenadores do CCAHD são o Tim Collins, a Gianna Minton e a Caroline Weir. Todos são membros do Cetacean Specialist Group da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), e todos têm experiência de trabalho em prol dos golfinhos-corcunda-do-atlântico.

Os coordenadores atuais dos Grupos de Trabalho do CCAHD incluem:
GT1: Ação concertada da CMS – Tim Collins
GT2: Sensibilização/consciencialização/desenvolvimento de capacidades – Lucy Keith-Diagne e Gianna Minton
GT3: Estudos de campo da população – Caroline Weir
GT4: Diversidade genética – Michael McGowen
GT5: Colheita de amostras de animais mortos – Forrest Gomez
GT6: Inquéritos por entrevista – Gill Braulik
GT7: Avaliações da saúde – Forrest Gomez
GT8: Monitorização acústica – Caroline Weir
GT9: Captura acessória e caça – Marguerite Tarzia
GT10: Desenvolvimento costeiro – Tom Jefferson
GT11: Painel consultivo de peritos – Tim Collins
GT12: Angariação de fundos – Lorenzo von Fersen

Organizações internacionais afiliadas

O CCAHD está afiliado a outras organizações internacionais focadas em melhorar o estatuto de conservação dos golfinhos-corcunda-do-atlântico, incluindo:

  • O International Union for Conservation of Nature (UICN) Cetacean Specialist Group (CSG), ou seja, Grupo Especializado em Cetáceos da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN): Uma iniciativa recente do CSG-Integrated Conservation Planning for Cetaceans (ICPC) tem por objetivo desenvolver um plano de ação para cada uma das espécies mais ameaçadas de golfinhos e de botos, incluindo o golfinho-corcunda-do-atlântico.
  • A Convention on Migratory Species (CMS) (Convenção sobre Espécies Migratórias (CEM)): em 2017 foi adotada uma Ação Concertada (AC) para o golfinho-corcunda-do-atlântico pela CMS, que foi revista em fevereiro de 2020. A AC inclui a elaboração de um plano de ação de cinco anos.
  • A International Whaling Commission (IWC) (Comissão Baleeira Internacional (ICNF): Em janeiro de 2020 foi criada uma Equipa Operacional Sousa da IWC para a África, para “começar a trabalhar no sentido de desenvolver uma estrutura abrangente de ações de conservação” em prol do golfinho-corcunda-do-atlântico e do golfinho-corcunda-do-índico.

Apoio nos estados da área de distribuição

Um aspeto fundamental do trabalho do CCAHD consiste em desenvolver competências locais nos estados da área de distribuição do golfinho-corcunda-do-atlântico, em estabelecer a ligação com os governos dos estados da área de distribuição, para melhorar o estatuto nacional da espécie, e em aumentar a consciência geral relativamente à espécie em cada país. Para alcançar estes objetivos temos de criar uma rede de parceiros locais e de pontos de contacto nacionais em todos os estados das áreas de distribuição, confirmadas e potenciais.

Encontrará a lista atual de membros e parceiros do CCAHD AQUI. O CCAHD recebe com agrado o contacto de quaisquer biólogos, ONG ou indivíduos interessados locais para continuar a expandir esta rede e maximizar as oportunidades de conservação e de colaboração.

 

Organizações Internacionais

Doadores

Sócios

Referências

  1. Consórcio para a Conservação do Golfinho-Corcunda-do-Atlântico.
  2. Collins, T., Braulik, G.T. and Perrin, W. (2017). Sousa teuszii (errata version published in 2018). The IUCN Red List of Threatened Species 2017: e.T20425A123792572. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2017-3.RLTS.T20425A50372734.en. Downloaded on 07 October 2020.
  3. Conferência Mundial sobre Cetáceos Marinhos.
  4. Weir, C.R. and Collins, T. (2020). Potential short- and medium-term targets for the conservation of Sousa teuszii. Unpublished report, 29 January 2020. 3pp. Available from the CCAHD.
  5. Van Waerebeek, K., Barnett, L., Camara, A., Cham, A., Diallo, M., Djiba, A., Jallow, A., Ndiaye, E., Ould-Bilal, A.O.S. and Bamy, I.L. 2004. Distribution, status, and biology of the Atlantic humpback dolphin, Sousa teuszii (Kukenthal, 1892). Aquatic Mammals 30(1): 56-83.
  6. Weir, C.R., Van Waerebeek, K., Jefferson, T.A. and Collins, T. (2011). West Africa’s Atlantic humpback dolphin (Sousa teuszii): endemic, enigmatic and soon Endangered? African Zoology, 46: 1-17.
  7. Collins, T. (2015). Re-assessment of the Conservation Status of the Atlantic Humpback Dolphin, Sousa teuszii (Kükenthal, 1892), Using the IUCN Red List Criteria. In: Thomas A. Jefferson and Barbara E. Curry, editors, Advances in Marine Biology, Vol. 72, Oxford: Academic Press, 2015, pp. 47-77
  8. Weir, C., Leeney, R. and Collins, T. (2020). Reinvigorating conservation efforts for the Atlantic humpback dolphin (Sousa teuszii): A brief progress report. Paper SC/68B/SM07 presented to the International Whaling Commission, Cambridge, UK.
  9. Grupo Especializado em Cetáceos.
  10. Convenção sobre a Conservação das Espécies Migradoras da Fauna Selvagem.
  11. Planeamento da Conservação de Cetáceos integrado no Grupo Especializado em Cetáceos.